A cada cidade que passava para fazer shows Wilson Carvalho Hayne, o "Neto" ou  "Wilson Bola" de 34 anos, aproveitava para deixar uma rastro de prejuízos ao lado dos comparsas Ricardo de Cássio Alcântara, de 25 anos e Felipe Alves Pereira, de 26. Presos hoje (02) na Capital o trio chegou por volta das 18h30 na 2ª DP (Delegacia de Polícia Civil) de Dourados, cidade onde foram feitas as primeiras vitimas dos estelionatários no Estado. 

De acordo com a polícia, os shows de "Neto" serviam de pretexto para as viagens dos criminosos até às várias cidade dos país onde eles aplicaram golpes. Com 7,3 mil seguidores Wilson acumula vídeos motivacionais, trechos de música e até "puxão" de orelha no Caio Castro no Instagram.

Conforme a Polícia Civil apesar de manter a aparência de artista, "Bola" era o chefe do bando. Tanto ele quantos os comparsas eram de Guarulhos, São Paulo.

Com agiam - A quadrilha monitorava idosos em supermercados. Enquanto as vítimas estavam nos estabelecimentos os bandidos colocavam óleo nas velas dos motores de carros, provocando fumaça.

Após as vítimas saírem do estabelecimento, eram abordadas por um integrante da associação criminosa, que alertava sobre o "falso incêndio" no veículo e acionavam um suposto mecânico.

Em seguida, o "mecânico" solucionava o problema e cobrava cerca de R$ 30,00,  usando uma máquina de cartão. Porém, algumas vítimas perceberam que os autores haviam debitado valor muito maior. Alguns perderam aproximadamente R$ 4 mil  da contas bancárias. Em Dourados, cidade onde foram feitas as primeiras vitimas um idoso procurou a delegacia após perder R$ 9 mil. 

Hoje o alvo foi uma idosa que havia estacionado seu veículo em supermercado na Rua Brilhante, região da  Vila Bandeirante, mas os bandidos acabaram sendo abordados pelos policiais da Derf (Delegacia Especializada em Repressão a Crimes de Roubos e Furtos).

A prisão ocorreu graças ao apoio do SIG (Setor de Investigações Gerais) da 2ª DP (Delegacia de Polícia Civil) de Dourados, para onde o trio foi levado para formalização do boletim por estelionato. No hotel onde eles estavam, na Capital, foram apreendidos diversos materiais e evidências dos crimes praticados.

Com a colaboração de Adilson Domingos.

Wilson, chefe da quadrilha. (Foto: Adilson Domingos)