Três homens foram executados na fronteira entre o Brasil e Paraguai em menos de 48 horas. O primeiro ocorreu no sábado (25), às 22h. Os outros dois, aconteceram, nesta segunda-feira (27), às 12h15, e a terceira morte às 13h30. Os primeiros crimes foram em Pedro Juan Caballero (PY), o último foi em Ponta Porã (MS) - que são cidades vizinhas.
Por ordem cronológica dos óbitos, Rógerio Laurete Buosi, de 26 anos, Jorge Ortega, 28, e o ex-vereador de Ponta Porã, Joanir Subtil Viana, 53, foram atingidos com 9 tiros, ao menos, cada um. A polícia investiga se há alguma ligação entre as três mortes.

 

Rogério Laurete Buosi, de 26 anos, foi executado nesse sábado (25), às 22h, conforme as informações da polícia. O boletim de ocorrência da força de segurança paraguaia, diz que a vítima foi encontrada, já sem vida, sobre um colchão e ao lado do corpo, os suspeitos deixaram um bilhete, assinado por "justiceiros da fronteira", escrito: "Não roubar na fronteira" - traduzido. Veja a foto acima.
Pelos documentos de Rogério, a vítima é natural de Rondonópolis (MT), e conforme apurado, o corpo do homem será enterrado em Araçatuba, interior de São Paulo, nesta segunda-feira (27).
O médico responsável pela perícia, Gustavo Galeano, apontou que a causa da morte de Rogério foi um traumatismo craniano, decorrente dos 11 disparos realizados contra a vítima. Do total, sete tiros atingiram a cabeça, três o braço e um na mão, detalha o laudo pericial.
O caso segue em investigação, pela polícia paraguaia.

Jorge - 12h15

orge Ortega, de 28 anos, foi atingido com ao menos nove disparos, de uma arma de calibre alto - a polícia não soube precisar - em Pedro Juan Cabellero, nesta segunda-feira (27).
Conforme as informações da polícia paraguaia, Jorge estava em uma rua, na cidade vizinha à Ponta Porã, quando uma caminhonete se aproximou da vítima e três homens desceram do veículo e iniciaram os disparos.

Joanir - 13h

Joanir Subtil Viana, de 53 anos, foi executado na região central de Ponta Porã. Até o fechamento da reportagem, a polícia, bem como a perícia, ainda estavam no local do crime, colhendo informações.
Ele era ex-vereador da cidade sul-mato-grossense e estava em uma caminhonete quando foi abordado pelos suspeitos. Os vidros do veículo ficaram estilhaçados e o corpo da vítima estava de bruços, fora da caminhonete.
O ex-vereador passou dois anos em uma penitenciária de segurança máxima, por tráfico de drogas. Na época, condenado a 14 anos de prisão, em regime fechado, ele sempre negou a participação no crime e recorreu da sentença. O Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul confirmou a decisão da primeira instância, mas reduziu a pena para oito anos.
Conforme dados da Justiça, Viana e outras seis pessoas foram alvo de operação da Polícia Federal em 2009. Eles foram presos no dia 16 de abril daquele ano em uma fazenda na cidade de Caarapó, a 273 km de Campo Grande. Naquele dia, agentes monitoraram o pouso de um avião que trouxe um carregamento de cocaína vindo do Mato Grosso. O peso dessa droga não foi informado, mas de acordo com o inquérito, foram encontrados 93,2 quilos de cocaína estocados na propriedade.

Outros crimes na fronteira
 
Mortes com essas características já ocorreram no passado e mais recentemente na região, que é uma das mais violentas no estado, além de ser corredor para crimes como tráfico de armas e de drogas.

Casal é executado na fronteira do Paraguai e pistoleiros deixam recado: 'Favor não roubar'
Na última semana, Mateo Martínez Armoa, de 21 anos, e Anabel Centurion Mancuelo, de 22, foram executados com mais de 47 tiros em uma choperia na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, vizinha da brasileira Ponta Porã (MS). Assista ao vídeo acima e entenda o caso. Horas antes do crime, os paraguaios Mateo e Anabel trocaram declarações de amor nas redes sociais