Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Fronteira – Defron apreenderam nesta quarta-feira (15), em Corumbá, 46 quilos de pasta base de cocaína, um quilo de cocaína, dois automóveis. Investigações em curso na Defron apontaram a qualificação de fornecedores de cocaína e pasta base de cocaína sediados na cidade.

O s policiais realizaram duas ações que resultaram na prisão de 7 pessoas, com idades de 22, 25, ,25, 33, 34, 36 e 52 anos.

Ao monitorar uma residência localizada no Bairro Aeroporto, no final da tarde de ontem, os policiais abordaram um automóvel Suzuki, com placas da Bolívia.

Questionados, os dois indivíduos que estavam no automóvel, um de nacionalidade boliviana e outra brasileira, confessaram que haviam atuado como batedores de uma carga de pasta base de cocaína, a qual foi descarregada na residência.

Diante dessa informação, os policias realizaram incursão no imóvel, onde efetuaram a prisão de mais dois bolivianos e um brasileiro, além de apreender 44,950 quilogramas de pasta base de cocaína, droga avaliada em R$ 650.000,00.

Sobre os dois brasileiros presos, ambos eram monitorados por tornozeleira eletrônica em razão de condenação por tráfico de drogas.

Questionados, os cinco flagrados sustentaram que apenas guardavam a droga, sendo os proprietários residentes na Bolívia.

Em continuidade às ações em Corumbá, por volta das 18 horas, policiais da Especializada abordaram um VW Gol na área central da cidade, uma vez que o seu motorista era investigado por tráfico de drogas.

No automóvel onde além do motorista, um paulistano, encontrava-se outro agente, os policias encontraram um tablete de cloridrato de cocaína e um de pasta base de cocaína, droga avaliada em R$ 50.000,00.

Questionados, os dois indivíduos alegaram não saber “como a droga foi parar no automóvel”.

Os sete presos foram autuados em flagrante por tráfico de drogas e associação para o tráfico, sendo representado pela decretação das suas prisões preventivas, sendo realizada a apreensão dos automóveis utilizados na prática ilícita.

Essas ações fazem parte da Operação HÓRUS, desenvolvida pelo Programa VIGIA do(a) CGFRON/SEOPI/Ministério da Justiça e Segurança Pública do Governo Federal em parceria com a SEJUSP-MS.