Durante fiscalização no rio Miranda, na região próxima ao pesqueiro conhecido como Capelinha, no município de Bonito, Policiais Militares Ambientais do Grupamento do Distrito de Águas do Miranda, em Bonito, autuaram ontem (27) dois pescadores que estavam em uma embarcação praticando pesca. Um pescador, de 53 anos, residente em Miranda, foi autuado em R$ 500,00 por pescar sem a licença ambiental.

Um segundo pescador (28), também residente em Miranda, possuía a licença de pesca, porém, assumiu ser proprietário de 16 exemplares de minhocoçu-mineiro que estavam na embarcação, para os quais não existia a licença ambiental obrigatória, por se tratar de animal silvestre. As minhocas foram apreendidas, além de um barco, um motor de popa e materiais de pesca. Eles iniciavam a pescaria e ainda não haviam capturado nenhum peixe.

Barco, motor e material de pesca apreendidos.
A pesca sem licença não é crime ambiental. Trata-se somente de infração administrativa. Porém, o infrator que estava com as minhocas responderá por crime ambiental de utilizar ilegalmente animais silvestres, cuja pena é de seis meses a um ano de detenção. Logo que possível, as minhocas serão encaminhadas ao Centro de Reabilitação de Animais Silvestres (CRAS), em Campo Grande.