Na madrugada deste domingo (25), uma mulher e a filha de 11 anos foram assassinadas a tiros em Coronel Sapucaia, cidade distante 380 quilômetros de Campo Grande, na fronteira com Capitán Bado (PY). A família é moradora em uma aldeia da região e, além das duas vítimas, um menino de 12 anos ficou ferido e foi encaminhado ao hospital em Dourados.

Conforme o delegado Edgard Punsky, a família estaria dormindo quando os atiradores invadiram a residência. “A princípio acredita-se que o objetivo era matar toda a família. O marido da vítima, padrasto das crianças, conseguiu fugir pela janela e saiu ileso”, contou a autoridade policial.

O menino foi ouvido previamente e contou que teria visto dois atiradores. No entanto, a liderança indígena relatou que seriam quatro os autores do crime. Equipes policiais fazem diligências em busca dos suspeitos e a polícia também procura o padrasto das crianças, peça-chave na investigação.

O homem não se apresentou e também não foi apresentado pela liderança da aldeia, mas deve ser ouvido, já que é testemunha do crime. Inicialmente, a liderança teria dito que a motivação do crime seria religiosa. Isso, porque segundo ele a família vítima do atentado “mexia com magia negra”.

O fato relatado pela liderança da aldeia é que a família teria feito alguma magia para que um membro de outra família morresse, o que teria ocorrido. Esta família é suspeita de tentar se vingar, assassinando a mulher e a criança. O caso é tratado como duplo homicídio qualificado e também tentativa de homicídio e está em investigação.