Decreto estadual que reforça medidas restritivas em Mato Grosso do Sul passou a valer desde domingo (14), mas dados divulgados pela plataforma InLoco indicam que não houve redução de mobilidade urbana. Além disso, tanto o Estado quanto Campo Grande ficaram na última posição de ranking que compara unidades da federação e capitais do Brasil.

O monitoramento é feito por meio de informações de localização dos dispositivos móveis da população, junto a algoritmos que "medem" a movimentação das pessoas de forma anônima. Conforme o sistema, Mato Grosso do Sul teve 42,4% de pessoas "em casa", sendo que apenas a Capital teve 42,3%. 

O melhor índice verificado ontem foi dos estados do Acre (64%), Ceará (53%) e Rondônia (52%). Entre capitais, Rio Branco (55%), Curitiba (56%) e Fortaleza (55%) tiveram melhores desempenhos.

Balanço - Dados publicados pelo próprio governo estadual indicam, inclusive, que a mobilidade urbana nunca foi reduzida expressivamente ao longo dos últimos 12 meses de pandemia. Aliás, o único momento em que foi superior a 60% foi logo no começo, em meados de março do ano passado.