Policiais federais cumprem na manhã desta quinta-feira (10/12), seis mandados de busca e apreensão em Mato Grosso do Sul contra fraudes em recebimentos no Auxílio Emergencial pago pela União durante a pandemia. A operação, batizada de Segunda Parcela, tem ações em outras 13 unidades da federação. 

As determinações judiciais no Estado são todas realizadas em Campo Grande e conta com 25 policiais federais. Também há ordens cumpridas em Presidente Dutra (MA), referente aos mandados sul-mato-grossenses. 

Essa é a maior operação no combate ao benefício realizada no país. Conforme a Polícia Federal, foram mais de 60 milhões de pessoas recebendo o auxílio durante a pandemia. 

Em nota, a Polícia Federal informou que o objetivo da operação é desestruturar ações que causam graves malefícios ao programa assistencial e, por consequência, atingem à toda a parcela da população que necessita dos valores.

Outros Estados

Além de Mato Grosso do Sul, a PF atua ainda em São Paulo, Rio de Janeiro, Paraíba, Espírito Santo, Bahia, Santa Catarina, Tocantins, Paraná, Goiás, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Maranhão e Piauí. 

No total, são 42 mandados de busca e apreensão, sete de prisão e 13 sequestros de bens. Também houve determinação para o bloqueio de até R$ 650 mil em diversas contas que receberam benefícios fraudados. 

Ao longo das investigações, foram bloqueados ou cancelados mais de 3,8 milhões de pedidos irregulares, deixando de sair dos cofres públicos R$ 2,3 bilhões referentes ao pagamento de uma parcela de R$ 600.