Na tarde deste sábado (10), uma equipe da Força Tática do 8º Batalhão de Polícia Militar foi acionada pelo 4º Pelotão da PM de Batayporã, para dar apoio a uma denúncia de disparo de arma de fogo no Assentamento São Luiz, zona rural do município.

No local foi apurado que realmente houve disparos, mas o suspeito havia evadido. Em contato com um adolescente, de 15 anos, filho do proprietário do sítio onde ocorreu o fato, ele informou aos policiais que realmente houve uma desinteligência familiar.

Ele autorizou os policiais a revistar o local, onde relatou que debaixo da cama havia uma arma de fogo, mas que não era a mesma do disparo da briga. Os militares encontraram uma espingarda de pressão modificada para usar munição calibre 22, tendo já municiada com um cartucho deflagrado e próximo da arma foi encontrado um cartucho calibre 36.

A arma foi apreendida e o jovem conduzido para a Delegacia de Polícia Civil, em Batayporã, como testemunha dos fatos.

Já na Delegacia, pai do jovem, de 56 anos, estava registrando um boletim de ocorrência de agressão em desfavor dos filhos, de 29 e 36 anos, que os agrediram com empurrão e enforcamento, depois de uma desavença devido ao plano de saúde.

Ele relatou que o filho, de 29 anos, que é policial militar, sacou uma arma de fogo e deu disparos em direção a uma pessoa que estava presente no local na hora da briga. Não soube precisar quantos tiros, pois estava inconsciente devido ao enforcamento sofrido.

O homem, de 56 anos, foi informado sobre a ocorrência em seu desfavor pela posse de arma de fogo encontrada no sítio e que também seriam incluídas as informações referentes aos disparos e vias de fato onde figura como vítima e os filhos como autores.

O homem ainda apresenta escoriações no joelho e tornozelo direito, segundo ele, proveniente das agressões sofridas.