https://www.facebook.com/watch/?v=221753395815230

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta quinta-feira (23) que a crise econômica desenhada pela pandemia do novo coronavírus começou a afligir os governadores que antes defendiam o isolamento social.

"Grande parte da sociedade está preocupada e muitos políticos também começaram a se preocupar", disse o presidente em live transmitida em uma rede social.

Ao lado do presidente da Caixa Econômica, Pedro Guimarães, Bolsonaro lembrou da conversa que teve com o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, antes da flexibilização das medidas de isolamento da região.

"Eu estive com o governador Ibaneis, que praticamente abriu todo o comércio. Outros Estados estão seguindo a mesma linha”, ressaltou Bolsonaro antes de afirmar que o Brasil e outros países só estarão livres do vírus quando mais de 60% da população for infectada.

Bolsonaro também voltou a criticar a destruição dos empregos e da produtividade no Brasil. "Se a nossa renda vai cair, a morte chega mais cedo", avaliou o presidente.

"Está na casa do milhão a quantidade de pessoas que perderam os empregos formais, sem contar os informais, que são cerca de 38 milhões no Brasil. É uma parte considerável de pessoas que não vai mais na praça vender um churrasquinho, vende um pano no sinal luminoso ou pega uma caixa de isopor para vender sorvete na arquibancada de um jogo de futebol", lamentou Bolsonaro.