A Federação da Agricultura e Pecuária de São Paulo (Faesp) afirmou que o agronegócio espera "respeito" e "diálogo" em prol do desenvolvimento do país no governo do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva. A entidade paulista declarou apoio à reeleição de Jair Bolsonaro após a votação no primeiro turno.

"Nossa expectativa é de que o novo governo continue realizando ações contínuas e um trabalho permanente pela prosperidade dos produtores rurais, responsáveis pela geração de emprego e renda", disse Fábio de Salles Meirelles, presidente da Faesp, em nota.

A federação destacou que o vice-presidente eleito, Geraldo Alckmin, ex-governador de São Paulo, poderá contribuir para que não haja "retrocesso" nem "sobressaltos" em pautas "consolidadas", como o respeito legítimo de ir e vir, o direito à propriedade privada, a garantia da segurança alimentar, o desenvolvimento sustentável,  o protagonismo do agronegócio no país e no mundo e a inovação tecnológica.

No texto, a Faesp ressalta o respeito à democracia e o voto de confiança depositado nas urnas pela população. A CNA e a Aprosoja Brasil também anunciaram apoio a Bolsonaro, mas ainda não se manifestaram.