Funcionário público federal, de 42 anos, que teve o carro roubado com uma urna eletrônica neste sábado (01º), teria passado em um bar antes de ser assaltado, de acordo com informações do boletim de ocorrência. A vítima é presidente de mesa receptora de votos, na Escola Municipal Irene Szukala, no bairro Aero Rancho. 

Ainda conforme o boletim de ocorrência, o homem teria buscado a urna eletrônica no TRE/ MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) às 11 horas na sexta-feira (30) e depois seguiu para casa. À noite, decidiu beber em um bar no Jardim Centro-Oeste e não retirou o aparelho de votação do veículo. 

O homem após terminar de beber saiu sozinho do local e dirigiu em direção ao bairro Aero Rancho. Depois apenas se lembra de ter acordado com dois homens dentro do veículo já na Rua da Divisão, subtraindo itens do bolso da vítima, que entrou em luta corporal com os assaltantes. 

 
 
O homem abriu a porta do carro e correu. Os ladrões levaram o carro prata do modelo Logan, a urna eletrônica, um aparelho celular, uma caixa de ferramentas, um contrato de venda de uma chácara, uma mala de viagem e a CNH da esposa da vítima.

De acordo com o boletim de ocorrência, o fato ocorreu entre às 19 horas do dia 30 e às 02 horas de sábado (01º). O homem assaltado relatou que ficou com lesões corporais. Ele não soube descrever as características físicas dos assaltantes, que ainda não foram encontrados. 

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro, na manhã deste sábado.

 
 
Carro encontrado
O carro roubado foi encontrado pela Guarda Municipal de Campo Grande, neste sábado (01º), Rua Paulo Soares Valentim, no bairro Alves Pereira. A urna eletrônica não estava no veículo, que foi enviado para a Defurv (Delegacia Especializada em Repressão a Roubos e Furtos de Veículos) e passará por perícia.

O caso está em investigação pela Polícia Federal e Polícia Civil, que buscam encontrar a autoria do crime e o aparelho de votação desaparecido.

TRE descarta motivação política
O TRE/MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) publicou uma nota sobre o roubo do carro em que estava a urna eletrônica. O presidente do tribunal, desembargador Paschoal Carmello Leandro, garantiu na publicação que “fica claro que se trata de um crime contra o patrimônio (veículo), não havendo nenhum elemento que possa indicar que se trate de delito com conotação político-eleitoral”.

 
 
“O Tribunal Regional Eleitoral reafirma que o ocorrido não prejudicará, em nada, o perfeito funcionamento das eleições, muito menos terá algum efeito na totalização dos votos, tendo em vista que a substituição da urna e de todo material já foi imediatamente providenciada”, finaliza a nota.