A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) publicou uma nota na tarde desta sexta-feira para afirmar que Padre Kelmon, candidato do PTB à Presidência da República, não pertence à Igreja Católica Apostólica Romana. Durante o debate da TV Globo na quinta-feira, Kelmon foi chamado de “padre de festa junina” por Soraya Thronicke (União Brasil) e de “impostor” por Lula (PT).

A nota foi motivada pelos questionamentos que a entidade vinha recebendo. A CNBB então decidiu esclarecer, "em atenção aos fiéis", se o candidato tem alguma ligação com a Igreja Católica.
"O senhor Kelmon Luís da Silva Souza, candidato que se apresenta como “padre Kelmon”, não é sacerdote da Igreja Católica Apostólica Romana, sem qualquer vínculo com a Igreja sob o magistério do Papa Francisco", diz a nota.

cnbbnacional
Comunicado sobre candidatura à Presidência da República

Em atenção aos fiéis que enviam perguntas à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), esclarecemos:

1. O senhor Kelmon Luís da Silva Souza, candidato que se apresenta como “padre Kelmon”, não é sacerdote da Igreja Católica Apostólica Romana, sem qualquer vínculo com a Igreja sob o magistério do Papa Francisco.

2. Oportuno ressaltar que, conforme vigência na Lei Canônica, os padres da Igreja Católica, em pleno exercício do ministério sacerdotal, não disputam cargos políticos, nem se vinculam a partidos.

CNBB #eleicoes2022

https://www.instagram.com/p/CjJSGYYJeqP/?utm_source=ig_embed&ig_rid=2a182cfb-25db-470e-9e71-acdb84690ed1