“Queremos ampliar o acesso aos mercados consumidores e melhorar a competitividade das matérias-primas e produtos industrializados de MS" disse o candidato

Marquinhos Trad quer fazer de Mato Grosso do Sul um estado moderno, proporcionando desenvolvimento a todas as regiões, com grandes obras de mobilidade e infraestrutura, em uma administração com o olhar voltado para o futuro.  O quarto eixo do Programa de Governo chamado “Governo da Integração: com mais infraestrutura e logística” define estratégias que mudarão a história da nossa gente.

Marquinhos diz que trabalhará com os municípios para melhorar a qualidade de vida do homem e da mulher do campo, levando pavimentação, terraplanagem e cascalhamento a estradas vicinais e estaduais rurais. Um governo com substituição de pontes de madeira estratégicas por pontes de concreto, através de uma reestruturação das unidades regionais da Agesul. Marquinhos vai abrir concurso, capacitações, núcleos de apoio e comitês gestores que indicarão as prioridades e necessidades locais, garantindo rapidez, segurança e menos custos aos produtores rurais no escoamento da produção.

“Queremos ampliar o acesso aos mercados consumidores e melhorar a competitividade das matérias-primas e produtos industrializados de Mato Grosso do Sul. Para isso, vamos investir na melhoria, ampliação e modernização de rodovias, ferrovias, hidrovias, estruturação de portos secos e terminais de armazenamento e transporte”, detalha.

Outro ponto ressaltado pelo Programa de Governo de Marquinhos Trad é a concretização do Corredor Bioceânico nos municípios de Mato Grosso do Sul com a consolidação de Porto Murtinho no recebimento de carga por via rodoviária, hidroviária e, futuramente, por via ferroviária. Também está no programa a criação de um “Cluster Logístico”, concentrando no município de Jardim prestadores de serviços terceirizados, operações de logísticas e transportadoras; e um Centro de Distribuição, Financeiro, de Comércio Exterior e Zona Industrial em Campo Grande. Tudo para fortalecer as articulações interinstitucionais necessárias para a operacionalização das rotas de integração latino-americanas.

O projeto defende a universalização do saneamento, que assegurará acesso a redes de coleta e tratamento adequado do esgoto, levando habitabilidade e mais saúde aos lares sul-mato-grossenses. Outro ponto de destaque no Plano de Governo é o fomento da produção de energia limpa e sustentável, com a ampliação e melhoria da rede de distribuição de gás no Estado. E se o assunto é cuidar da saúde do povo e do meio ambiente, a contenção das mudanças climáticas entra em pauta e pede passagem.

“Vamos propor e estimular ações para que, cada vez mais, produtores rurais e empresas adotem modelos de produção com base no carbono neutro, reduzindo ou compensando a quantidade de gases causadores de efeito estufa em Mato Grosso do Sul”, reforça Marquinhos.

No mundo atual, nenhuma integração é completa sem internet, por isso, será ação prioritária auxiliar todos os municípios no acesso a conexões de qualidade e alta velocidade, proporcionando inovação e tecnologia, a todas as regiões, no campo e na cidade.