A Polícia Civil acredita que uma bituca de cigarro pode ter ocasionado o incêndio que matou a benzedeira Clarice Maria Trindade, de 72 anos, conhecida no Bairro São Jorge da Lagoa como Maria Benzedeira.

De acordo com o delegado Camilo Kettenhuber Cavalheiro, da 5º DP (Delegacia de Polícia de Campo Grande) os familiares informaram que a idosa era alcoólatra e fumava bastante.

"Segundo familiares, já tinha acontecido um acidente anteriormente com cigarro porque ela não fumava inteiro, fumava um pouco e já jogava no chão e tinha tapete ali na beira da cama dela", disse o delegado.

Em outra ocasião, já havia acontecido um acidente com uma bituca de cigarro, que ela deixou cair e iniciou um princípio de incêndio na casa, mas os familiares conseguiram apagar a tempo. Desta vez, Clarice estava sozinha em casa e o fogo se espalhou rapidamente.

Ele disse ainda que o corpo foi encontrado na cama de Clarice, que ficou completamente destruída pelo fogo. A causa da morte ainda vai ser apurada pelo médico legista. 

O incêndio começou por volta das 15h, o interior da casa ficou completamente destruído, assim como o telhado. Os Bombeiros usaram 2 mil litros de água para controlar as chamas.

A vendedora Fernanda dos dos Anjos, 39, foi uma das primeiras pessoas a enxergar o incêndio. Ela estava passando pelo bairro com a chefe, quando viram a fumaça preta e decidiram parar para ajudar. Ao chegar no local, Fernanda viu que tinha gente na casa e gritou aos vizinhos pedindo ajuda, foi quando toda a vizinhança se uniu tentando apagar o fogo com baldes e mangueiras, mas sem sucesso. 

“Nós todos lutamos para salvar ela mas não deu. Nós entramos em desespero, quase que eu morri porque eu ia entrar lá dentro, aí veio aquela fumaça, meu rosto está todo pinicando. Mas a gente tentou fazer o que a gente pode, todo mundo aqui lutou”, disse Fernanda, emocionada. 

Delegado Camilo Kettenhuber Cavalheiro, da 5º DP. (Foto: Paulo Francis).