O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, disse que o governo federal precisa adotar medidas para reverter os lucros da Petrobras em ações que beneficiem a sociedade, sobretudo por conta das constantes altas no preço dos combustíveis. "Compete a nós buscar ver qual é a melhor forma de empregar esse recurso", disse.

"A Petrobras é uma empresa que tem ações em Bolsa, e isso requer ter uma série de responsabilidades. Então, o acionista botou dinheiro na empresa. A parte que é do governo é restituída, e compete ao governo usar essa parte da melhor forma possível, se for o caso, para apoiar o regimento da sociedade que está em situação de inferioridade pela falta de condições de trabalho e pelas questões que estamos enfrentando na pandemia [da Covid-19]", afirmou Mourão em entrevista a jornalistas nesta sexta-feira (29).

No terceiro trimestre deste ano, a Petrobras registrou lucro de R$ 31,14 bilhões. Com o crescimento da cotação do barril de petróleo do tipo Brent, a Petrobras alcançou receita de R$ 121,59 bilhões.

A retomada do consumo da gasolina e do óleo diesel, à medida que a vacinação avança no país, também ajudou a petrolífera a engordar o caixa. Além disso, a estatal contou com um dinheiro extra que entrou com acordo firmado com sócios chineses no âmbito do pré-sal e alguns benefícios tributários.

Na quinta-feira (28), o presidente Jair Bolsonaro defendeu a ideia de que a Petrobras seja privatizada e passe a investir mais recursos em iniciativas sociais. No entanto, queixou-se de que a estatal tem registrado um lucro muito alto nos últimos meses, e disse que a empresa poderia registrar uma "arrecadação menor".

Mourão não concordou totalmente com a afirmação de Bolsonaro, mas destacou que a Petrobras não deve trabalhar "única e exclusivamente do lucro pelo lucro". "A Petrobras, ainda por ser uma empresa que pertence parte ao Estado, tem uma responsabilidade social. Acho que o lucro da Petrobras está dentro daquilo que as empresas de petróleo estão faturando hoje. Daqui a pouco, cai o preço do barril e o lucro diminui", opinou.

O vice ainda comentou a decisão do Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) de congelar o valor do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre combustíveis por 90 dias. "É uma medida que pode dar uma minorada, uma mitigada nessa situação do aumento do preço do combustível", disse. "Acho que vai ser uma boa medida", completou.