Nos dias 23 e 24 de agosto, as polícias civis de Mato Grosso do Sul, através da Delegacia de Polícia de Iguatemi, e de São Paulo, através do DEIC- DISE de Presidente Prudente, deflagraram operação conjunta contra uma associação criminosa que transportava toneladas de drogas da região de fronteira do Mato Grosso do Sul com destino ao estado de São Paulo e aliciava adolescentes de Iguatemi para trabalhar no tráfico. 

A operação contou, ainda, com apoio da Delegacia de Polícia de Paranhos.

As investigações tiveram início há cinco meses, quando a Força Tática da Polícia Militar de Naviraí frustrou um roubo de uma caminhonete na cidade de Iguatemi, prendendo 7 pessoas em flagrante.

Uma dessas pessoas confessou que organizou o roubo porque havia perdido uma carga de mais de 200 Kg de maconha na cidade de Itaquiraí e seu chefe, que só conhecia por Kata, ordenou que assim o fizesse, para pagar a dívida, caso contrário seria morto.

Alguns meses depois, a Polícia Militar de Iguatemi abordou um veículo suspeito, conduzido por um adolescente, que foi encaminhado para Delegacia de Polícia.

Já nesta unidade, o adolescente confessou que estava acabando de vir de uma viagem na qual serviu de batedor de um carregamento de drogas, cujo destino era Presidente Prudente/SP e o dono da carga era justamente de Kata, que teria ordenado o roubo acima citado.


Com base apenas no apelido e na informação de que a droga teria como destino o Estado São Paulo, a Delegacia de Polícia de Iguatemi entrou em contato com o DEIC DISE de Presidente Prudente/SP, sedo iniciada uma investigação conjunta.

Após diligências, descobriu-se quem era o líder da organização criminosa responsável pelo envio de toneladas de maconha para o estado de São Paulo, e que ele residia na cidade de Araçatuba/SP.

Além disso, foram identificados vários membros da organização nas cidades de Iguatemi, Amambai e Paranhos, bem como no país vizinho, Paraguai.

Não obstante, no dia 14 de agosto de 2021, o DOF (Departamento de Operações de Fronteira) apreendeu mais de uma tonelada de maconha num Assentamento Rural de Iguatemi/MS, local em que residia um dos alvos da investigação, que já estava sendo monitorado.

Com base em todas essas informações, foi representada pela prisão temporária dos suspeitos e pela busca e apreensão nos respectivos endereços.

 

Ao todo, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária nas cidades de Iguatemi/MS, Naviraí/MS, Paranhos/MS, Araçatuba/SP e Rosana/SP.

Durante diligências para o cumprimento do mandado de prisão do líder da organização criminosa, foram apreendidos mais de 2 kg de haxixe, sendo ele preso em flagrante também por esse crime.

O nome da operação, Power of Reach (Poder de Alcance), faz referência à distância em que os crimes eram praticados e a capacidade que as forças policiais, em conjunto, têm de identificar e levar à Justiça os criminosos independentemente de onde estejam.