A Polícia Civil, por meio da Delegacia de Atendimento à Mulher (DAM), de Três Lagoas deflagrou hoje, 19/08, a segunda fase da operação “Sodoma e Gomorra” e colocou fim há quase 20 anos de abusos sexuais dentro de uma mesma família. A ação contou com o apoio do Setor de Investigações Gerais (SIG), da 2ªDP e DAM de Paranaíba e resultou na prisão de quatro pessoas de uma mesma família, acusados de praticar estupro de vulneráveis.

A operação contou com 24 investigadores e 5 delegados. Ao todo são 5 presos, quatro homens e uma mulher.

Dois dos presos são irmãos, sendo que o terceiro é filho de um deles e o quarto é sobrinho. A mulher é a matriarca da família, uma senhora de 77 anos, que tinha conhecimento de tudo que acontecia e se omitiu.

Já foram identificadas mais de 10 vítimas, dentre primas, irmãs e sobrinhas dos autores. Com a prisão ocorrida hoje, acredita-se que mais vítimas serão identificadas, pois terão coragem de denunciar. A primeira vítima sofreu o abuso inicial há mais de 17 anos, quando ela tinha 8 anos de idade.

As demais vítimas são crianças e adolescentes com idades entre 5 a 13 anos, que conviviam em um mesmo núcleo familiar e, apesar de pedirem ajuda e tentarem denunciar, foram negligenciadas e obrigadas a se calar por anos. Uma delas, quando tentou contar o que acontecia, foi espancada com uma corrente, por um dos autores, com a conivência da avó

A primeira fase da operação aconteceu há 20 dias, quando foi preso o primeiro autor. Na ocasião não houve divulgação, para  preservação das investigações, que deverão continuar, com o intuito de identificar mais vítimas e punir os autores.