Polícia Civil, através das Delegacias de Polícia de Nova Alvorada do Sul e Navirai conseguiram ilucidar o contexto da morte de Sidimar Alves de Oliveira, bem como identificar que os mesmos autores haviam praticado o homicídio de Junio Márcio Lima Teixeira em Navirai.

Após conseguir identificar a autoria do crime ocorrido no Terminal Rodoviário de Nova Alvorada do Sul, no dia 12 de junho de 2021, e prendê-los no Estado de São Paulo, a investigação apurou que Sidimar Alves de Oliveira morreu por engano, sendo que o objetivo dos autores era matar Junio Márcio Lima Teixeira, o qual estava vindo ao Estado de Mato Grosso do Sul e, por estar dormindo, acabou não descendo na cidade de Nova Alvorada do Sul, indo para Campo Grande. O executor contratado acabou confundindo a vítima e disparou 05 (cinco) vezes contra Sidimar, percebendo somente quando pegou seu celular que havia matado a pessoa errada.
Não satisfeitos, no dia subsequente, os autores conseguiram localizar Junio em Campo Grande e o levaram até Navirai, local em que o mataram com dois tiros na cabeça.
O motivo do crime é em decorrência da disputa por pontos de tráfico de drogas em Minas Gerais, razão pela qual Junio foi atraído ao estado pelos autores e morto.
Em sede de interrogatório, os suspeitos confessaram a prática criminosa e foram indiciados por dois homicídios qualificados por motivo torpe e emprego de recurso que dificulta a defesa da vítima, podendo pegar uma pena de até trinta anos de reclusão.

Entenda o Caso


Corpo de homem com tiros na cabeça é encontrado nas margens de rodovia
O único documento encontrado no bolso da vítima era falso. Polícia investiga o assassinato.

Homem, ainda desconhecido, foi encontrado morto com dois tiros na cabeça na manhã desta segunda-feira (21) às margens da MS-145 em Naviraí – a 366 quilômetros de Campo Grande. O corpo já estava em avançado estado de decomposição. O único documento encontrado no bolso da vítima era falso.

Conforme o boletim de ocorrência, o corpo estava em meio ao mato nas margens da rodovia, no quilômetro 12. Apesar do avançado estado de decomposição, duas perfurações causada por tiros foram encontradas na cabeça da vítima.

No bolso da roupa que a vítima estava a polícia encontrou identidade de um homem de 36 anos, natural de Montes Claros/ Minas Gerais, no entanto foram encontrados indícios de falsificação no RG, por isso o verdadeiro nome do homem ainda é desconhecido. Além disso, ele carregava R$ 60 e um bilhete com o nome da cidade Naviraí.

Ainda segundo o registro policial, o documento, o dinheiro e o bilhete estavam guardados dentro de um porta documento com nome de uma concessionária.

Agora a polícia trabalha para identificar o homem. Ele possui tatuagens que podem ajudar na apuração: o nome Eliane escrito no lado esquerdo do peito, uma índia nas costas, do lado esquerdo, e outros dois nomes – Júnior e Lana – acompanhados de datas de aniversário. O caso é investigado como homicídio simples.

O corpo foi encontrado às margens da MS-145, em Naviraí (Foto: Tá na Mídia Naviraí)